Posted on

Depois de lançada a série “Tidying up with Marie Kondo” na Netflix, os holofotes ficaram todos apontados para o mundo da organização.

E isso trouxe coisas boas! Depois da série explodir em todo o mundo, a organização passou a fazer parte das resoluções de Ano Novo de muitas mais pessoas, ou seja, foram despertadas novas necessidades de organização, que até então passavam despercebidas.

Tidying Up with Marie Kondo

Além disso, Marie Kondo ajudou a divulgar o papel do profissional de organização.

Organizar é um processo que deve ser sempre desenvolvido com o cliente!

Na sua série e livros publicados, Marie Kondo promove o contacto dos seus clientes com a sua casa e os seus objetos durante todo o processo de reorganização.

Os clientes devem estar sempre envolvidos no processo de reorganização do seu espaço porque, além de serem eles que moram naquela casa, são eles que sabem como funcionam as suas rotinas e de que forma é que a casa pode ficar funcional para todos.

Além disso, é importante que passem a conseguir olhar para os seus objetos de uma forma crítica, para que não se repita a mesma situação de acumulação, ou seja, para que não haja uma “recaída”.

A organização funciona como um processo de auto conhecimento e reflexão e o acompanhamento de um profissional tem como principal objetivo definir uma estratégia adequada a cada caso, para que a mudança seja saudável e sustentável.

 

O método Marie Kondo

A diferença cultural é clara e isso reflete-se na presença e na forma como Marie Kondo lida com a casa dos seus clientes. Saudar a casa, acordar os livros, sentir alegria e agradecer aos objetos, fazem parte do ritual da organizadora para dar início ao processo de organização de qualquer espaço.

Além da casa, a forma calma, respeitosa e carinhosa com que Kondo lida com cada membro da família é essencial para se fazer o bom acompanhamento dum processo de organização.

Kondo promete que o desapego dos objetos que não nos fazem falta, nem trazem alegria, é o primeiro passo para a transformação e para que as famílias sejam mais organizadas e felizes.

Mulher feliz num campo com flores

Na sua série podemos ver as famílias a limparem, reorganizarem e desfazerem-se dos objetos que sentem que já não devem fazer parte da sua vida. Processo este que deve ser visto tal e qual como ele é – delicado.

Organizar não é só arrumar um armário e deitar a tralha fora, é dispor todo o seu conteúdo de uma forma funcional e prática que ajude a tornar as tarefas do dia a dia mais leves e fáceis de desenvolver. Não tem a ver diretamente com a roupa ou com a tralha, mas sim com as pessoas e o seu dia a dia.

Organizar é um processo que transforma rotinas e ajuda a aumentar o bem-estar e a felicidade das pessoas.

Com os espaços organizados e otimizados, as pessoas conseguem poupar tempo todos os dias para desfrutarem do que mais gostam de fazer: ler, acompanhar o crescimento e a educação dos filhos, praticar um hobby, ou ficar com tempo para cuidar de si mesmos.

 

Não deve existir um modelo fixo de organização!

Cada casa é uma casa e cada família tem as suas rotinas e hábitos de organização (ou desorganização) e isso deve ser sempre tido em conta.

Um profissional de organização deve, antes de começar a organizar, conhecer o espaço, os seus clientes, ouvir as suas questões e preocupações sobre a organização da casa e analisar a situação cuidadosamente, de forma a conseguir definir a melhor estratégia para cada caso. Olhando para as diferentes técnicas, metodologias e lógicas de organização, é preciso definir as que vão representar uma mais valia para aquele caso específico.

Organizar e destralhar pode ser um processo muito exigente e emotivo para algumas pessoas. Pode existir a necessidade de abrandar o ritmo e fazer a reorganização passo a passo e o acompanhamento de um profissional de organização é fundamental nestes casos.

É importante que se compreenda que contratar um Organizador Profissional é muito mais do que contratar alguém que organize o armário por si!

Organizar roupa

Um profissional de organização deve fazer o acompanhamento personalizado do cliente enquanto ele próprio passa pelo processo, apoiando-se em técnicas e metodologias próprias, definindo o ritmo ideal para a organização de cada espaço.

O que pode acontecer às famílias que passam por um processo de organização exigente sem o apoio de um profissional?

Há processos de organização simples e processos que envolvem muitas emoções. Depende de caso para caso e de pessoa para pessoa.

Se não existir o acompanhamento profissional personalizado, as famílias podem estar a despertar inseguranças e questões emocionais que estavam fechadas na gaveta juntamente com as suas tralhas, parando o processo de organização.

Por outro lado, ao desfazerem-se dos objetos que não fazem sentir alegria, como diz Marie Kondo e não tiverem um acompanhamento profissional, podem estar a criar uma sensação de vazio que, mais cedo ou mais tarde vai resultar na compra de novos itens para repor os que mandaram embora, voltando à desorganização inicial – “a recaída”.

 

Esta série trouxe algum protagonismo ao trabalho dos Organizadores Profissionais e chamou a atenção para esta área, que promete bem mais do que arrumar os armários.

É preciso, no entanto, que as pessoas estejam alerta durante os seus processos de organização para que não abram mão de objetos que farão falta de futuro ou que trazem algum conforto emocional, porque estes objetos também são importantes nossa vida.

Roupa Desorganizada

 

Organizar deve ser um hábito que se mantém ao longo do tempo e não deve nunca ser visto como algo negativo.

 

Fotos deste artigo by: Unsplash

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *